Bolhas de realidade

“Eu estou certo, você está errado. O que menos importa nesse caso são os fatos e evidências. Contanto que eu acredite estar certo, estou certo.”

Esta é uma convicção clássica tão natural de todos nós.

Vivemos, cada um, em uma “bolha de realidade” particular, específica e mutável.

Vamos explorar este conceito.

Uma “bolha de realidade” é um conjunto de suposições (modelos mentais) sobre a qualidade das experiências de uma pessoa, ou seja, é a crença em suposições sobre a verdadeira natureza das coisas.

Uma vez acreditando nas crenças que temos para explicar o mundo, iremos nos ater a elas.

Uma mudança requer que outro conjunto de convicções substitua o existente. É quando um modelo mental é substituído por outro.

Sempre utilizamos modelos mentais para encarar o mundo lá fora.

Se não temos um modelo para filtrar e atribuir significado aos estímulos externos, nos sentimos desconfortáveis.

A incerteza nos inquieta. E é por isso que a “bolha de realidade” se instaura. Bolha de realidade é um conjunto de modelos mentais que traduz a realidade aos nossos olhos para operar no mundo (interno e externo).

Quando tratamos com consumo, uma das atividades mais rotineiras que exercemos, assim que estabelecemos um relacionamento com uma marca, passamos a acreditar automaticamente em suas qualidades e defeitos.

Pense em partidos políticos. Uma vez que você começa a achar que partido X tem essa e aquela qualidade ou problema, tende a ignorar ou minimizar as evidências em contrário. Isso explica muitas coisas que custamos a aceitar.

Portanto, uma “bolha de realidade” é um conjunto de significados atribuídos aos estímulos externos, ou seja, um conjunto de modelos mentais que molda a realidade à nossa percepção particular.

Após algum tempo, este mecanismo opera em um patamar puramente emocional. Você simplesmente “sente” o significado das coisas que acontecem, sem analisar a realidade.

Se outro modelo lhe é apresentado, surge resistência no nível emocional. Você fica apreensivo. O que o deixa confortável é retornar ao seu modelo existente, que é afinal o que você conhece.

Vamos voltar ao início deste texto.

“Estou certo, você está errado. Você só pode estar errado, uma vez que “eu” sei que estou certo.”

À confrontação de modelos mentais damos o nome de debate ou discussão.

Pense nisso. Imagine que alguém esteja tentando convencê-lo de que a Terra é plana. Uma afirmação esdrúxula para maioria das pessoas que aprendeu que a Terra é esférica.

Ao dizer que a Terra é plana, essa pessoa cria um certo desconforto para a maioria, pois alguma coisa dispara um “alarme”. Está estabelecido pela ciência, desde Copérnico, que a Terra é esférica.

Uma afirmação ao contrário causa desconforto porque desafia a “bolha de realidade” da maioria, ou dito, senso comum.

A “bolha de realidade” acaba se tornando a nossa própria identidade após certo tempo.

Pense nisso.

Cada pessoa em particular tem uma bolha de realidade e modelos mentais e se você quiser influenciar uma pessoa o pior caminho é tentar romper esses modelos.

Nos negócios, o convencimento e formação de convicções passa necessariamente por modelos mentais e bolhas de realidade.

Stavros Frangoulidis
Stavros Frangoulidis
CEO da PaP Solutions ⚡ Vamos conectar também no Linkedin

Se você achou interessante, compartilhe :-)

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

SERVIÇOS DE PROSPECÇÃO CORPORATIVA

Dedique seu tempo em uma sala de reuniões com os melhores potenciais clientes do seu mercado

Rolar para cima