Insistência

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Anos 1960-1980

As vendas eram territoriais. Ou você vendia para aquelas casas, indústrias e armazéns da sua região designada ou não cobria a sua meta. Então tocar na campainha 100 vezes durante um mês era mandatório. Você vendia pela insistência.

Anos 1980-2000

Entra em cena o telefone e os call centers, seja para vender para empresas, seja para consumidores finais. As listas eram escassas e portanto você tinha que ligar dezenas de vezes para tentar se fazer ouvir e colocar a oferta de vendas.

Anos 2000 – hoje

Os processos de abordagem mudaram muito. A entrada do digital, redes sociais e o acesso à informação por parte dos compradores, fizeram um papel preponderante no processo decisório.

Não se perde tempo tentando convencer as pessoas a comprarem e sim na busca de clientes com alto potencial a compra, ou seja, potenciais clientes que precisam, podem e vão comprar logo.

O acesso ao mercado é muito mais amplo. Da poltrona da sua sala você pode abordar literalmente qualquer executivo de uma empresa aqui no Brasil ou no planeta. Ferramentas como o Linkedin e o Google, virtualmente em segundos trazem à sua tela o prospect que você quiser.

Atualmente, em alguns minutos você pode gerar listas de prospects para abordar. O mercado é profícuo e enorme no Brasil. Há nesse exato instante centenas de empresas precisando daquilo que você vende.

Você conta com inúmeros pontos de contato: telefone, e-mail, redes sociais, network, eventos e fóruns.

Não há sentido, nesse contexto, você “perder” seu tempo com pessoas que não entendem/precisam do que você tem a oferecer.

A palavra “próximo” deveria ser falada e considerada muito mais.

  • Não atendeu a ligação? Próximo.
  • Telefone ocupado? Próximo.
  • A conversa foi confusa? Próximo.
  • Lead não respondeu ao e-mail de apresentação? Próximo.
  • Sumiu depois de receber a proposta? Próximo!

E assim por diante. As incontáveis horas perdidas todos os dias lidando com oportunidades mortas é uma epidemia de ineficiência.

As causas:

  • Muita dificuldade em desapegar para não esvaziar a narrativa comercial.
  • Crença que vai ganhar pela insistência (anos 1960 era assim, hoje em dia, não.)
  • Falta de leads e supervalorização dos que se tem.
  • Apego emocional.

O foco saiu da insistência em convencer os reticentes para os processos de achar e falar com os propícios.

Insista em manter processos e volumes condizentes com as suas metas. Insista em modificar/adaptar/melhorar suas ofertas ao mercado. Insista em retornar o mais rapidamente possível aos seus leads. Insista em criar oportunidades.

Mas desista daqueles que não mostrarem apetite pelo que você vende. E vá para o próximo da lista.

Sinais inequívocos para você considerar a desistência:

  • Prospect não retorna.
  • Prospect é evasivo nas respostas.
  • Prospect delega assunto para baixo e delega o assunto para pessoas despreparadas.
  • Prospect fica de agendar e/ou enviar informações e não o faz.

Estatísticas internas na PaP Solutions:

  • Número de tentativas de contato: 4 (quatro)
  • De cada 100 ligações frias, 34 são significativas (houve mínimo interesse), das quais, 7 viraram leads (real interesse), das quais 1,4 viraram clientes.
  • Ciclo médio de vendas: 55 dias (da ligação fria ao contrato) – para produtos da PaP

Desista dos não respondentes e vá com tudo para os pró-ativos em efetivamente avaliar a sua oferta. Em alguns meses sua agenda estará cheia de reais oportunidades e clientes.

Stavros Frangoulidis
Stavros Frangoulidis
Fundador e CEO da PaP Solutions ⚡ Vamos conectar também no Linkedin

Se você achou interessante, compartilhe :-)

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Anúncio

Artigos recentes

Técnicas

Insistência

Anos 1960-1980 As vendas eram territoriais. Ou você vendia para aquelas casas, indústrias e armazéns da sua região designada ou não cobria a sua meta. Então tocar na campainha 100 vezes durante um mês era mandatório. Você vendia pela insistência. Anos 1980-2000 Entra em cena o telefone e os call centers, seja para vender para

Leia mais »
Técnicas

Treinamento de produto

Vamos separar claramente as duas fases da captação de clientes corporativos. PRIMEIRA: GERAÇÃO DE LEADS Nessa fase você aborda um mercado com potencial e faz uma oferta, seja para agendar uma reunião e apresentar soluções, seja um skype call para tratar das possibilidades de soluções para potenciais problemas do seu mercado. Nessa fase, de 0 a 10,

Leia mais »

AGENDAMENTO DE REUNIÕES QUALIFICADAS

SERVIÇOS DE PROSPECÇÃO CORPORATIVA

Dedique seu tempo onde ele te trará o maior retorno: Em uma sala de reuniões com os melhores potenciais clientes do seu mercado.